Buscar

A literatura constrói


Recentemente recebi dois livros do autor Rômulo Ferreira Filho, assinados por seu pseudônimo Romênio dos Santos Alphonsus. Os livros recebidos foram: “Beleza Mortuária” (poesia) e “Contos de uma noite sombria” (coletânea de contos curtos). O primeiro, publicado pela editora Babecco em 2016, e o segundo pela editora Elemental Editoração em 2020.


Os textos de Rômulo seguem uma temática sombria, e aqui encontramos um autor subindo os primeiros degraus da escrita, movido pelo sonho da autopublicação; nesse método de lançamento o livro é publicado em qualidade profissional, tendo como custos a impressão, taxas de serviço editorial e profissionais envolvidos. Logicamente que isso representa uma grande oportunidade para novos autores ganharem visibilidade, já que a contratação de editoras que utilizam métodos tradicionais atualmente costuma ser um acontecimento raro e bastante seletivo.


E temos aqui uma capa linda feita pela Elemental Editoração para o livro de contos de Rômulo, com acabamento em brilho e proteção plastificada, além de um cuidado especial em usar ilustrações na diagramação, que, por sua vez, correspondem a cada texto publicado. Por outro lado, temos o capricho da editora Babecco, que utiliza uma capa linda com efeito em Verniz Localizado na ilustração, e uma diagramação feita com esmero em folhas de papel Avena OffWhite, que deixam a leitura e manuseio do livro mais agradáveis.


Apesar da ascensão dos e-books, ler livros físicos continua sendo uma grande experiência, principalmente quando são feitos com recursos atraentes (como esses que foram utilizados nos livros de Rômulo Ferreira). É notável como iniciativas desse tipo inspiram os nossos autores, levando-os a buscarem cada vez mais aptidão para a realização de seus sonhos; uma persistência necessária em nosso país, numa época tão carente de cultura, e bastante perceptível neste autor que faz questão de agradecer, na entrada de cada livro, a seus pais e avós pelo incentivo em nunca desistir de seus sonhos. E essa talvez seja a maior mensagem que seus livros passam, bem além de qualquer resenha: seus textos são como diários de melancolia, mas a lâmina assassina de suas linhas influenciadas por histórias de terror, não mata; porque seu corte profundo tem no autor a influência da literatura, e essa visão é bem mais construtiva para o meio literário nacional.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DRÁCULA